Lenine    

Samba escrachado

Letras Lenine / Samba escrachado

Samba escrachado

Lenine

O meu samba escancarou
No quebra-quebra
Saiu do compasso
E desandou
Ta sem escola
Sem passarela
Sem diploma de embaixador
É! É tão escrachado
Que vai dar uma canja
Numa banda de jazz
Que vai pra Montreaux
É,é tão debochado
Que Carmem Miranda
No palco do céu
Desceu para o morro
E se rebolou
Clementina foi quem vadiou
Pixinguinha a partir do alto
Abençoou
E salve o sambista
Que ningéum viu
Folia de reias
Ginga de maracatu bantu
Batuque de catimbó jongo
O meu samba escancarou
A farra de guitarra e sintetizador
Outro pagode, outra aquarela
No batuque de um novo tambor
É,é tão debochado
Que no Corcovado
Um negro sambista se fez redentor
É,é tão desbundado
Que até Grande Otelo
Na tela do mundo
Comendo banana
Quase se engasgou
Nem Cabral descobriu seu sabor
Na cabeça do samba
A cartola coroou
E salve o sambista...


Lenine

Samba escrachado

Lenine

Samba escrachado

O meu samba escancarou
No quebra-quebra
Saiu do compasso
E desandou
Ta sem escola
Sem passarela
Sem diploma de embaixador
É! É tão escrachado
Que vai dar uma canja
Numa banda de jazz
Que vai pra Montreaux
É,é tão debochado
Que Carmem Miranda
No palco do céu
Desceu para o morro
E se rebolou
Clementina foi quem vadiou
Pixinguinha a partir do alto
Abençoou
E salve o sambista
Que ningéum viu
Folia de reias
Ginga de maracatu bantu
Batuque de catimbó jongo
O meu samba escancarou
A farra de guitarra e sintetizador
Outro pagode, outra aquarela
No batuque de um novo tambor
É,é tão debochado
Que no Corcovado
Um negro sambista se fez redentor
É,é tão desbundado
Que até Grande Otelo
Na tela do mundo
Comendo banana
Quase se engasgou
Nem Cabral descobriu seu sabor
Na cabeça do samba
A cartola coroou
E salve o sambista...