Kid Abelha    

Palavras, Palavras

Letras Kid Abelha / Palavras, Palavras

Palavras, Palavras

Kid Abelha

Parole, parole

Cara, cosa mi succede stasera, ti guardo ed
come la prima volta
Che cosa sei, che cosa sei, che cosa sei
Non vorrei parlare
Cosa sei
Ma tu sei la frase damore cominciata e mai
finita
Non cambi mai, non cambi mai, non cambi mai
Tu sei il mio ieri, il mio oggi
Proprio mai
il mio sempre, inquietudine
Adesso ormai ci puoi provare chiamami
Tormento dai, gi che ci sei
Tu sei come il vento che porta i violini e le rose
Caramelle non ne voglio pi
Certe volte non ti capisco
Le rose e violini questa sera raccontali a
unaltra,
violini e rose li posso sentire
quando la cosa mi va se mi va,
quando il momento e dopo si vedr
Una parola ancora
Parole, parole, parole
Ti prego
Parole, parole, parole
lo ti giuro
Parole, parole
Parole, parole parole soltando parole, parole tra
noi
Ecco il mio destino, parlarti, parlarti come la
prima volta
Che cosa sei, che cosa sei, che cosa sei
No, non dire nulla, c la notte che parla
Cosa sei
La romantica notte
Non cambi mai, non cambi mai, nom cambi mai
Tu sei il mio sogno proibito
Proprio mai
vero, speranza
Nessuno pi ti pu fermare chiamami passione dai,
hai visto mai
Si spegne nei tuoi occhi la luna e si accendono i
grilli
Caramelle non ne voglio pi
Se tu non ci fossi bisogne rebbe inventarti
La luna ed i grilli normalmente mi tengono
sveglia mentre io voglio dormire e sognare
luomo che a volte c in te

Palavras, Palavras

Querida, o que me acontece esta noite, te olho e é
como a primeira vez.
Como tu és, como tu és, como tu és.
Não queria falar.
Como tu és.
Mas tu és a frase de amor começada e nunca
terminada.
Não mudas nunca, não mudas nunca, não mudas nunca.
Tu és o meu ontem, o meu hoje.
Mesmo nunca.
E o meu sempre, inquietação.
Agora tu podes tentar, chama-me
tormento, vai, já que aí estás.
Tu és como o vento que traz os violinos e as rosas.
Balinhas, não as quero mais.
As vezes não te entendo.
As rosas e os violinos, esta noite conta
pra outra.
Violinos e rosas, os posso ouvir
quando quero, se quero.
Quando é o momento e depois veremos.
Uma palavra ainda.
Palavras, palavras, palavras.
Te peço.
Palavras, palavras, palavras.
Eu te juro.
Palavras, palavras,
palavras, palavras, palavras, somente palavras, palavras entre
nós.
Eis o meu destino, falar-te, falar-te como a
primeira vez.
Como tu és, como tu és, como tu és.
Não, não dizer nada, temos a noite que fala.
Como tu és.
A romântica noite.
Não mudas nunca, não mudas nunca, não mudas nunca.
Tu és o meu sonho proibido.
Mesmo nunca.
É verdade, esperança.
Ninguém mais te pode parar, chama-me paixão, vai,
nunca se sabe.
Se apaga nos teus olhos a lua e começam a cantar os
grilos.
Balinhas, não as quero mais.
Se tu não existisses seria preciso inventar-te.
A lua e os grilos normalmente me mantêm
acordada, enquanto eu quero dormir e sonhar
o homem que as vezes há em ti,


Kid Abelha

Palavras, Palavras

Kid Abelha

Palavras, Palavras

Parole, parole

Cara, cosa mi succede stasera, ti guardo ed
come la prima volta
Che cosa sei, che cosa sei, che cosa sei
Non vorrei parlare
Cosa sei
Ma tu sei la frase damore cominciata e mai
finita
Non cambi mai, non cambi mai, non cambi mai
Tu sei il mio ieri, il mio oggi
Proprio mai
il mio sempre, inquietudine
Adesso ormai ci puoi provare chiamami
Tormento dai, gi che ci sei
Tu sei come il vento che porta i violini e le rose
Caramelle non ne voglio pi
Certe volte non ti capisco
Le rose e violini questa sera raccontali a
unaltra,
violini e rose li posso sentire
quando la cosa mi va se mi va,
quando il momento e dopo si vedr
Una parola ancora
Parole, parole, parole
Ti prego
Parole, parole, parole
lo ti giuro
Parole, parole
Parole, parole parole soltando parole, parole tra
noi
Ecco il mio destino, parlarti, parlarti come la
prima volta
Che cosa sei, che cosa sei, che cosa sei
No, non dire nulla, c la notte che parla
Cosa sei
La romantica notte
Non cambi mai, non cambi mai, nom cambi mai
Tu sei il mio sogno proibito
Proprio mai
vero, speranza
Nessuno pi ti pu fermare chiamami passione dai,
hai visto mai
Si spegne nei tuoi occhi la luna e si accendono i
grilli
Caramelle non ne voglio pi
Se tu non ci fossi bisogne rebbe inventarti
La luna ed i grilli normalmente mi tengono
sveglia mentre io voglio dormire e sognare
luomo che a volte c in te

Palavras, Palavras

Querida, o que me acontece esta noite, te olho e é
como a primeira vez.
Como tu és, como tu és, como tu és.
Não queria falar.
Como tu és.
Mas tu és a frase de amor começada e nunca
terminada.
Não mudas nunca, não mudas nunca, não mudas nunca.
Tu és o meu ontem, o meu hoje.
Mesmo nunca.
E o meu sempre, inquietação.
Agora tu podes tentar, chama-me
tormento, vai, já que aí estás.
Tu és como o vento que traz os violinos e as rosas.
Balinhas, não as quero mais.
As vezes não te entendo.
As rosas e os violinos, esta noite conta
pra outra.
Violinos e rosas, os posso ouvir
quando quero, se quero.
Quando é o momento e depois veremos.
Uma palavra ainda.
Palavras, palavras, palavras.
Te peço.
Palavras, palavras, palavras.
Eu te juro.
Palavras, palavras,
palavras, palavras, palavras, somente palavras, palavras entre
nós.
Eis o meu destino, falar-te, falar-te como a
primeira vez.
Como tu és, como tu és, como tu és.
Não, não dizer nada, temos a noite que fala.
Como tu és.
A romântica noite.
Não mudas nunca, não mudas nunca, não mudas nunca.
Tu és o meu sonho proibido.
Mesmo nunca.
É verdade, esperança.
Ninguém mais te pode parar, chama-me paixão, vai,
nunca se sabe.
Se apaga nos teus olhos a lua e começam a cantar os
grilos.
Balinhas, não as quero mais.
Se tu não existisses seria preciso inventar-te.
A lua e os grilos normalmente me mantêm
acordada, enquanto eu quero dormir e sonhar
o homem que as vezes há em ti,