Kelly Patrícia    

Cântico Espiritual II

Letras Kelly Patrícia / Cântico Espiritual II

Cântico Espiritual II

Kelly Patrícia

Onde é que te escondeste, amado, e me deixaste com gemido?
Como cervo fugiste, havendo me ferido
Onde é que te escondeste, amado, e me deixaste com gemido?
Como cervo fugiste, havendo me ferido

saí por ti clamando
e eras já ido
Saí por ti clamando
e eras já ido

Pastores que subides além pelas malhadas ao outeiro
(Pastores que subides além pelas malhadas ao outeiro)
Se porventura virdes aquele que mais quero
Dizei-lhe que adoeço, peno, peno e morro

Buscando meus amores irei por estes montes e riveiras
Não colherei as flores nem temerei as feras

E passarei os fortes e fronteiras
(repete)

Ó bosques e espessuras plantados pela mão de meu amado
(Ó bosques e espessuras plantados pela mão de meu amado)
Ó prados e verduras e flores esmaltados
dizei-me se por vós ele há passado

Mil graças derramando passou por esses soltos com presteza
E quantos iam olhando só com sua figura
A todos revestiu de formosura

Saí por ti clamando e eras já ido
E passarei os fortes e fronteiras
A todos revestiu de formosura


Kelly Patrícia

Cântico Espiritual II

Kelly Patrícia

Cântico Espiritual II

Onde é que te escondeste, amado, e me deixaste com gemido?
Como cervo fugiste, havendo me ferido
Onde é que te escondeste, amado, e me deixaste com gemido?
Como cervo fugiste, havendo me ferido

saí por ti clamando
e eras já ido
Saí por ti clamando
e eras já ido

Pastores que subides além pelas malhadas ao outeiro
(Pastores que subides além pelas malhadas ao outeiro)
Se porventura virdes aquele que mais quero
Dizei-lhe que adoeço, peno, peno e morro

Buscando meus amores irei por estes montes e riveiras
Não colherei as flores nem temerei as feras

E passarei os fortes e fronteiras
(repete)

Ó bosques e espessuras plantados pela mão de meu amado
(Ó bosques e espessuras plantados pela mão de meu amado)
Ó prados e verduras e flores esmaltados
dizei-me se por vós ele há passado

Mil graças derramando passou por esses soltos com presteza
E quantos iam olhando só com sua figura
A todos revestiu de formosura

Saí por ti clamando e eras já ido
E passarei os fortes e fronteiras
A todos revestiu de formosura