Kelly Patrícia    

A Sagrada Face

Letras Kelly Patrícia / A Sagrada Face

A Sagrada Face

Kelly Patrícia

Jesus! Jesus! Tua face... eu a amo. Estrela - norte do exílio meu!
Vê-la é perder-me em divinos êxtases, vê-la é no mundo entrever o céu!
Nesses teus olhos que esmaltam prantos, quanta delícia descobre o amor!
Sorrindo enlevo-me em teus encantos, choro, pensando na tua dor...
Pra consolar-te, quero esta vida levar nas trevas na solidão!
Tua beleza tão escondida lá me revelas... lá me convidas
De melhor sarça melhor visão.
Face adorável, és minha pátria, meu soberano reino de amor,
Jardim ridente de flores místicas, sol de meus dias encantador,
Lírio dos vales, mimoso lírio, amo os perfumes que tu me dás.
Neste da vida longo martírio aspiro deles celeste paz.
Argêntea lira de cordas sete, comigo os anos te pulsarão!
Hei de lançar-te num ramalhete, mirra escolhida!...como um sinete,
Hei de gravar-te no coração!...
De ricas jóias cofre riquíssimo, a ti só quero e a tua cruz!
Em ti me escondo, em ti me abismo para imitar-te, Jesus! Jesus!
Deixa, em minha alma, bem fundo impressa a tua imagem, tuas feições:
Far-me-ei santa, sê-lo-ei depressa! E então... converto-te os corações!
Mas, porque vingue de loira messe áureas paveias a flux juntar,
Com tuas chamas meu peito aquece e o ósculo eterno de última prece!
Breve no céu dá-me a gozar!


Kelly Patrícia

A Sagrada Face

Kelly Patrícia

A Sagrada Face

Jesus! Jesus! Tua face... eu a amo. Estrela - norte do exílio meu!
Vê-la é perder-me em divinos êxtases, vê-la é no mundo entrever o céu!
Nesses teus olhos que esmaltam prantos, quanta delícia descobre o amor!
Sorrindo enlevo-me em teus encantos, choro, pensando na tua dor...
Pra consolar-te, quero esta vida levar nas trevas na solidão!
Tua beleza tão escondida lá me revelas... lá me convidas
De melhor sarça melhor visão.
Face adorável, és minha pátria, meu soberano reino de amor,
Jardim ridente de flores místicas, sol de meus dias encantador,
Lírio dos vales, mimoso lírio, amo os perfumes que tu me dás.
Neste da vida longo martírio aspiro deles celeste paz.
Argêntea lira de cordas sete, comigo os anos te pulsarão!
Hei de lançar-te num ramalhete, mirra escolhida!...como um sinete,
Hei de gravar-te no coração!...
De ricas jóias cofre riquíssimo, a ti só quero e a tua cruz!
Em ti me escondo, em ti me abismo para imitar-te, Jesus! Jesus!
Deixa, em minha alma, bem fundo impressa a tua imagem, tuas feições:
Far-me-ei santa, sê-lo-ei depressa! E então... converto-te os corações!
Mas, porque vingue de loira messe áureas paveias a flux juntar,
Com tuas chamas meu peito aquece e o ósculo eterno de última prece!
Breve no céu dá-me a gozar!