João Mineiro e Marciano    

Quando Canta o Chororó

Letras João Mineiro e Marciano / Quando Canta o Chororó

Quando Canta o Chororó

João Mineiro e Marciano

Toada Balanço

Lá na roça onde eu moro, lá pra aqueles chapadão
Pra aqueles seios de terra, depois que passa o varjão
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.

O meu cantar na viola é disfarce de paixão
É pra rebater saudade escondida nesse chão
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.

A perdiz pia no campo, gaviãozinho no espigão
Sabiá na laranjeira, araponga no Matão;
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.

Da minha velha palhoça eu vejo a imensidão
Campos verdes, serranias, quanto é belo meu sertão;
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.


João Mineiro e Marciano

Quando Canta o Chororó

João Mineiro e Marciano

Quando Canta o Chororó

Toada Balanço

Lá na roça onde eu moro, lá pra aqueles chapadão
Pra aqueles seios de terra, depois que passa o varjão
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.

O meu cantar na viola é disfarce de paixão
É pra rebater saudade escondida nesse chão
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.

A perdiz pia no campo, gaviãozinho no espigão
Sabiá na laranjeira, araponga no Matão;
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.

Da minha velha palhoça eu vejo a imensidão
Campos verdes, serranias, quanto é belo meu sertão;
Quando canta o chororó, como dói meu coração...
ai, ai, ai.