João Mineiro e Marciano    

Moleque Peralta

Moleque Peralta

João Mineiro e Marciano

Tá certo que bebo é verdade que erro
Que não tenho sido tão bom como quer.
Que eu chego tarde que fica sozinha
Que homem assim não é bom pra mulher.

Porém não precisa dizer que vai embora
Que vai arrumar outro alguém pra você.
Do jeito que sou a pior criatura
Você me procura, eu sei atender.

Não sou infiel, nem vivo na rua
Procurando outras pra satisfazer
É este ponto que eu quero que veja
Eu bebo cerveja, mas amo você.

Se olhar direito você vai saber
Que as coisas que faço não são tão ruins.
Beber e cantar tem sido meu fraco
Um dia afinal, conheceu-me assim.

Você ameaça deixar-me por isso
Mas você jurou me querer como sou.
Eu sou sem juízo moleque peralta
Mas nunca lhe falta comida e amor.


João Mineiro e Marciano

Moleque Peralta

João Mineiro e Marciano

Moleque Peralta

Tá certo que bebo é verdade que erro
Que não tenho sido tão bom como quer.
Que eu chego tarde que fica sozinha
Que homem assim não é bom pra mulher.

Porém não precisa dizer que vai embora
Que vai arrumar outro alguém pra você.
Do jeito que sou a pior criatura
Você me procura, eu sei atender.

Não sou infiel, nem vivo na rua
Procurando outras pra satisfazer
É este ponto que eu quero que veja
Eu bebo cerveja, mas amo você.

Se olhar direito você vai saber
Que as coisas que faço não são tão ruins.
Beber e cantar tem sido meu fraco
Um dia afinal, conheceu-me assim.

Você ameaça deixar-me por isso
Mas você jurou me querer como sou.
Eu sou sem juízo moleque peralta
Mas nunca lhe falta comida e amor.