João Mineiro e Marciano    

Duas Familias

Duas Familias

João Mineiro e Marciano

A minha esposa não pode saber
Que estou amando outro alguém loucamente
Porque sou amado no lar construído
E temos um filho pedaço de gente.
O lar é meu tudo, tesouro divino
Mas meu coração foi leviano ao sentir
O novo perfume ele foi se entregando
Agora precisa não pode fugir.

Adoro a criança e a mãe que deu vida
Embora culpado de um erro que fiz
Sou aquele amante que ama chorando
Sou aquele pai que sofrendo é feliz.

Mas o destino seguiu seu traçado
E deu-me com a outra um filho também
Dois grandes amores, dois filhos queridos
Eu tenho dois mundos e não sou ninguém.
As duas suspeitam porque vivo triste
É pelas crianças que calam sentidas
Separo meu tempo em cada família
Porque minha alma está dividida.


João Mineiro e Marciano

Duas Familias

João Mineiro e Marciano

Duas Familias

A minha esposa não pode saber
Que estou amando outro alguém loucamente
Porque sou amado no lar construído
E temos um filho pedaço de gente.
O lar é meu tudo, tesouro divino
Mas meu coração foi leviano ao sentir
O novo perfume ele foi se entregando
Agora precisa não pode fugir.

Adoro a criança e a mãe que deu vida
Embora culpado de um erro que fiz
Sou aquele amante que ama chorando
Sou aquele pai que sofrendo é feliz.

Mas o destino seguiu seu traçado
E deu-me com a outra um filho também
Dois grandes amores, dois filhos queridos
Eu tenho dois mundos e não sou ninguém.
As duas suspeitam porque vivo triste
É pelas crianças que calam sentidas
Separo meu tempo em cada família
Porque minha alma está dividida.