João Mineiro e Marciano    

Último Café

Último Café

João Mineiro e Marciano

Depois de uma noite sentamos na cama
Perfeitos amantes no café da manhã
Os dois tão felizes vibrando de amor
Dois seres amigos, almas irmãs.
Depois levantamos, trocamos um beijo
Porem de repente uma palavra mais
Nós dois discutimos e tudo acabou
Não sei o que faço, não sabe o que faz.

Crianças amantes, amor inocente
Assim parecemos então terminou
Agora sofremos a mesma saudade
Lembranças me invadem, memorias de amor.
A última vez foi naquela manhã
Beijei os teus labios com um desejo
Até que triste final de uma grande aventura
A última jura naquele café.

Nós fomos amantes e somos estranhos
Nós quase vencemos, estamos perdidos
Voce prometia ser minha pra sempre
Eu até pensava em ser seu marido.
E naquele dia nós amanhecemos
Ainda me lembro coberto de amor
Depiois nos serviram o último café
A marca que fica é de quem não ficou.


João Mineiro e Marciano

Último Café

João Mineiro e Marciano

Último Café

Depois de uma noite sentamos na cama
Perfeitos amantes no café da manhã
Os dois tão felizes vibrando de amor
Dois seres amigos, almas irmãs.
Depois levantamos, trocamos um beijo
Porem de repente uma palavra mais
Nós dois discutimos e tudo acabou
Não sei o que faço, não sabe o que faz.

Crianças amantes, amor inocente
Assim parecemos então terminou
Agora sofremos a mesma saudade
Lembranças me invadem, memorias de amor.
A última vez foi naquela manhã
Beijei os teus labios com um desejo
Até que triste final de uma grande aventura
A última jura naquele café.

Nós fomos amantes e somos estranhos
Nós quase vencemos, estamos perdidos
Voce prometia ser minha pra sempre
Eu até pensava em ser seu marido.
E naquele dia nós amanhecemos
Ainda me lembro coberto de amor
Depiois nos serviram o último café
A marca que fica é de quem não ficou.