João Mineiro e Marciano    

Última Esperança

Letras João Mineiro e Marciano / Última Esperança

Última Esperança

João Mineiro e Marciano

Liguei o radio nesta fria madrugada
E ouvi os versos que há tanto tempo eu fiz
Em homenagem a menina mais amada
Que em outros tempos me fizera tão feliz.
Fui ao passado e revi tão comovido
A bela historia que o nosso amor viveu
Não acredito que ela tenha me esquecido
Seu sentimento é tão grande quanto o meu.

Onde andará alma gêmea de minha'lma
Já não suporto esconder meus tristes ais
Todo este tempo que de você estive ausente
Infelizmente cada vez lhe quero mais.

Sei que você diz que sou o seu cantor
Que não mais quer outro alguém na sua vida
E lhe pertence igualmente esta conquista
Pois, como disse não consigo lhe esquecer.
Busquei conforto no calor de mil amores
No desespero de apagar sua lembrança
Mas não encontro seu perfume em outras flores
E encontrá-la é minha última esperança.


João Mineiro e Marciano

Última Esperança

João Mineiro e Marciano

Última Esperança

Liguei o radio nesta fria madrugada
E ouvi os versos que há tanto tempo eu fiz
Em homenagem a menina mais amada
Que em outros tempos me fizera tão feliz.
Fui ao passado e revi tão comovido
A bela historia que o nosso amor viveu
Não acredito que ela tenha me esquecido
Seu sentimento é tão grande quanto o meu.

Onde andará alma gêmea de minha'lma
Já não suporto esconder meus tristes ais
Todo este tempo que de você estive ausente
Infelizmente cada vez lhe quero mais.

Sei que você diz que sou o seu cantor
Que não mais quer outro alguém na sua vida
E lhe pertence igualmente esta conquista
Pois, como disse não consigo lhe esquecer.
Busquei conforto no calor de mil amores
No desespero de apagar sua lembrança
Mas não encontro seu perfume em outras flores
E encontrá-la é minha última esperança.