João Bosco    

Tempos do Onça e da Fera (Quarador)

Letras João Bosco / Tempos do Onça e da Fera (Quarador)

Tempos do Onça e da Fera (Quarador)

João Bosco

Saindo pro trabalho de manhã
o avô vestia o sol do quarador
tecido em goiabeiras, sabiás,
cigarras, vira-latas e um amor.
E o amor ia ao portão pra dar adeus
de pano na cabeça, espanador...
Os netos.. o quintal... Vila Isabel
Todo o Brasil era sol, quarador.
Hoje, acordei depois do meio-dia,
chovia, passei mal no elevador,
ouvi na rua as garras do Metrô.
O avô morreu.
Mudou Vila Isabel ou mudei eu?
Brasil
Tá em falta o honesto sol do quadrado.


João Bosco

Tempos do Onça e da Fera (Quarador)

João Bosco

Tempos do Onça e da Fera (Quarador)

Saindo pro trabalho de manhã
o avô vestia o sol do quarador
tecido em goiabeiras, sabiás,
cigarras, vira-latas e um amor.
E o amor ia ao portão pra dar adeus
de pano na cabeça, espanador...
Os netos.. o quintal... Vila Isabel
Todo o Brasil era sol, quarador.
Hoje, acordei depois do meio-dia,
chovia, passei mal no elevador,
ouvi na rua as garras do Metrô.
O avô morreu.
Mudou Vila Isabel ou mudei eu?
Brasil
Tá em falta o honesto sol do quadrado.