João Bosco    

Ladrão de Fogo

Letras João Bosco / Ladrão de Fogo

Ladrão de Fogo

João Bosco

Porque nasci
de manhã cedo
do fundo de um poço dos desejos
sei que só há
uma certeza:
o mundo é um tecido de surpresas.
À noite estou
apaixonado
principalmente quando embriagado
mas de manhã
pego a estrada
que leva a uma cidade intoxicada.
No fundo sou
um anarquista
e pago à prestação por uma vista.
Penso na paz
vivo a guerra
o céu fica distante desta terra.
Às vezes sou
ladrão de fogo
às vezes prisioneiro de algum jogo.
Seja o que for
não tenho medo
dos uivos dos fantasmas de mim mesmo.
Às vezes rei
às vezes bobo
às vezes sou peão em qualquer jogo.
Seja o que for
não tenho medo
dos uivos dos fantasmas de mim mesmo


João Bosco

Ladrão de Fogo

João Bosco

Ladrão de Fogo

Porque nasci
de manhã cedo
do fundo de um poço dos desejos
sei que só há
uma certeza:
o mundo é um tecido de surpresas.
À noite estou
apaixonado
principalmente quando embriagado
mas de manhã
pego a estrada
que leva a uma cidade intoxicada.
No fundo sou
um anarquista
e pago à prestação por uma vista.
Penso na paz
vivo a guerra
o céu fica distante desta terra.
Às vezes sou
ladrão de fogo
às vezes prisioneiro de algum jogo.
Seja o que for
não tenho medo
dos uivos dos fantasmas de mim mesmo.
Às vezes rei
às vezes bobo
às vezes sou peão em qualquer jogo.
Seja o que for
não tenho medo
dos uivos dos fantasmas de mim mesmo