João Bosco    

Jandira da Gandaia

Letras João Bosco / Jandira da Gandaia

Jandira da Gandaia

João Bosco

Jandira da gandaia
Jandira da algazarra
Jandira, já é dia
Quem diria

Jandira de Oxossi
Cuidado com essa tosse
Quando a noite esfria
Por que um dia

E um dia, quem diria
Jandira variou como a maré varia
Suou e delirou como, no amor, faria
Se pudesse amar

Jandira caixão de pinho
Luto, choro, velharia
Assim não quero lembrar
Jandira da gandaia, tu era da minha laia

Hoje eu vou beber, sambar
Vou fazer feito você
Que nunca se preocupou
Com imagem por exterior

Vou render minha homenagem, fazendo furdunço
Tocando horror
E quando a noite acabar
Eu vou gritar entre as grades
De qualquer delegacia:
Jandira, já é dia, quem diria


João Bosco

Jandira da Gandaia

João Bosco

Jandira da Gandaia

Jandira da gandaia
Jandira da algazarra
Jandira, já é dia
Quem diria

Jandira de Oxossi
Cuidado com essa tosse
Quando a noite esfria
Por que um dia

E um dia, quem diria
Jandira variou como a maré varia
Suou e delirou como, no amor, faria
Se pudesse amar

Jandira caixão de pinho
Luto, choro, velharia
Assim não quero lembrar
Jandira da gandaia, tu era da minha laia

Hoje eu vou beber, sambar
Vou fazer feito você
Que nunca se preocupou
Com imagem por exterior

Vou render minha homenagem, fazendo furdunço
Tocando horror
E quando a noite acabar
Eu vou gritar entre as grades
De qualquer delegacia:
Jandira, já é dia, quem diria