João Bosco    

Ditodos

Letras João Bosco / Ditodos

Ditodos

João Bosco

Quem planta fogo
Colhe pé de queimadura
Põe na boca a fruta dura
Professora do falar

Palavra é feito
Uma moeda condenada
Pra cunhar se gasta tudo
Pra vender não vale nada

Quem vem de lá ?
É uma voz, deixa entrar
Quem te mandou ?
Isso eu não posso te contar
Que quer aqui ?
Eu vim me oferecer
Que que cê faz ?
Eu sei me presentear
Que que ce dá?

Pisadeira
Cobra-encantada
Folha de gravatá
Mãe da lua
Olha pra água
É o calango do mar
Porco-preto
Rastro de vento
Lâmpada de apagar
Mãe da lua
Olha pra água
É o calango do mar

A vida é longe
Não conheço outro atalho
Tem trabalho prazeroso
Tem prazer que dá trabalho

Avisa lá
Pode dizer que eu tô trocando
Vinte pássaros na mão
Por um só pássaro voando

Quem vem de lá?...

Pé de caixeiro é bola de cristal
Carta marcada de tanto andar
Esse jogo quem viver, verá


João Bosco

Ditodos

João Bosco

Ditodos

Quem planta fogo
Colhe pé de queimadura
Põe na boca a fruta dura
Professora do falar

Palavra é feito
Uma moeda condenada
Pra cunhar se gasta tudo
Pra vender não vale nada

Quem vem de lá ?
É uma voz, deixa entrar
Quem te mandou ?
Isso eu não posso te contar
Que quer aqui ?
Eu vim me oferecer
Que que cê faz ?
Eu sei me presentear
Que que ce dá?

Pisadeira
Cobra-encantada
Folha de gravatá
Mãe da lua
Olha pra água
É o calango do mar
Porco-preto
Rastro de vento
Lâmpada de apagar
Mãe da lua
Olha pra água
É o calango do mar

A vida é longe
Não conheço outro atalho
Tem trabalho prazeroso
Tem prazer que dá trabalho

Avisa lá
Pode dizer que eu tô trocando
Vinte pássaros na mão
Por um só pássaro voando

Quem vem de lá?...

Pé de caixeiro é bola de cristal
Carta marcada de tanto andar
Esse jogo quem viver, verá