Joćo Bosco    

Boca de Sapo

Letras Joćo Bosco / Boca de Sapo

Boca de Sapo

Joćo Bosco

Costurou na boca do sapo
um resto de angu
- a sobra do prato que o pato deixou.
Depois deu de rir feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
E amarrou as pernas do sapo
com a guia de vidro
que ele pensava que tinha perdido.
Depois deu de rir feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
Tu tį branco, Honorato, que nem cal,
murcho feito o sapo, Honorato,
no quintal.
Do teu riso, Honorato, nem sinal.
Se o sapo danēa, Honorato,
tu, babau.
Definhou e acordou com um sonho
contando a mandinga,
e falou pra doida: meu santo me vinga.
Mas ela se riu feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
E implorou: "Patroa, perdoa.
Eu quero viver.
Afasta meus olhos de Obaluaiź".
Mas ela se riu feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
Tįs virando, Honorato, varapau,
seco feito o sapo, Honorato,
no quintal.
Figa, reza, Honorato, o escambau.
nada salva o sapo, Honorato,
desse mal.


Joćo Bosco

Boca de Sapo

Joćo Bosco

Boca de Sapo

Costurou na boca do sapo
um resto de angu
- a sobra do prato que o pato deixou.
Depois deu de rir feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
E amarrou as pernas do sapo
com a guia de vidro
que ele pensava que tinha perdido.
Depois deu de rir feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
Tu tį branco, Honorato, que nem cal,
murcho feito o sapo, Honorato,
no quintal.
Do teu riso, Honorato, nem sinal.
Se o sapo danēa, Honorato,
tu, babau.
Definhou e acordou com um sonho
contando a mandinga,
e falou pra doida: meu santo me vinga.
Mas ela se riu feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
E implorou: "Patroa, perdoa.
Eu quero viver.
Afasta meus olhos de Obaluaiź".
Mas ela se riu feito Exu Caveira:
marido infiel vai levar rasteira. Bis
Tįs virando, Honorato, varapau,
seco feito o sapo, Honorato,
no quintal.
Figa, reza, Honorato, o escambau.
nada salva o sapo, Honorato,
desse mal.