João Alexandre    

Folião

Folião

João Alexandre

Eu sempre fui de brincar,
De sorrir, de cantar,
De viver à vontade!
Luz, carnavais, foliões,
Quanta felicidade!

E na brincadeira de viver,
Brinquei demais e quis morrer!
Risos passageiros, falsas alegrias!
Lágrimas angústias, tristes fantasias!
Dia menos dia descobri que resta
Cinza em plena quarta-feira
Pra comemorar!..

Mas houve alguém que chegou
Quando a festa acabou,
Quando já era tarde!
Trouxe a alegria melhor,
Um sorriso maior,
Plena felicidade!


Hoje eu sei de fato o que é cantar
E brincar e sorrir!
Tudo é mais bonito e nada
mais seduz
Do que ter na vida alguém
como Jesus!
Traz a esperança, alma de criança,
Vida eterna e confiança em seu
imenso amor!


João Alexandre

Folião

João Alexandre

Folião

Eu sempre fui de brincar,
De sorrir, de cantar,
De viver à vontade!
Luz, carnavais, foliões,
Quanta felicidade!

E na brincadeira de viver,
Brinquei demais e quis morrer!
Risos passageiros, falsas alegrias!
Lágrimas angústias, tristes fantasias!
Dia menos dia descobri que resta
Cinza em plena quarta-feira
Pra comemorar!..

Mas houve alguém que chegou
Quando a festa acabou,
Quando já era tarde!
Trouxe a alegria melhor,
Um sorriso maior,
Plena felicidade!


Hoje eu sei de fato o que é cantar
E brincar e sorrir!
Tudo é mais bonito e nada
mais seduz
Do que ter na vida alguém
como Jesus!
Traz a esperança, alma de criança,
Vida eterna e confiança em seu
imenso amor!