João Alexandre    

Conta As Bençãos

Letras João Alexandre / Conta As Bençãos

Conta As Bençãos

João Alexandre

Se da vida as vagas procelosas são
Se com desalento julgas tudo em vão
Conta as muitas bênçãos, dize-as duma vez
E verás, surpreso, quanto deus já fez

(coro)
Conta as bênçãos, conta quantas são
Recebidas da divina mão
Uma a uma, dize-as de uma vez
E hás de ver, surpreso, quanto deus já fez

Tens acaso mágoas, triste é teu lidar?
É pesada a cruz que tens de carregar?
Conta as muitas bênçãos, não duvidarás
E cantando alegre os dias passarás

(coro)

Mesmo ao vires outros com seu ouro e bens
Lembra que um tesouro prometido tens
Nunca os bens da terra poderão comprar
A mansão celeste em que vais habitar

(coro)


João Alexandre

Conta As Bençãos

João Alexandre

Conta As Bençãos

Se da vida as vagas procelosas são
Se com desalento julgas tudo em vão
Conta as muitas bênçãos, dize-as duma vez
E verás, surpreso, quanto deus já fez

(coro)
Conta as bênçãos, conta quantas são
Recebidas da divina mão
Uma a uma, dize-as de uma vez
E hás de ver, surpreso, quanto deus já fez

Tens acaso mágoas, triste é teu lidar?
É pesada a cruz que tens de carregar?
Conta as muitas bênçãos, não duvidarás
E cantando alegre os dias passarás

(coro)

Mesmo ao vires outros com seu ouro e bens
Lembra que um tesouro prometido tens
Nunca os bens da terra poderão comprar
A mansão celeste em que vais habitar

(coro)